Figuras do Presépio invadem Monsaraz!

Imagem
Presépio gigante de rua, com figuras em tamanho real, regressa sexta-feira a Monsaraz.

Pelas 11 da manhã, nas Portas da Vila, o Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz abre a festa com os seus Cantos de Natal.
As Figuras do Presépio tomam conta de Monsaraz. E até aos Reis, a vila medieval é delas!

Delas (de quantos a habitam e gostam!) e dos muitos milhares que vão passar por lá para ver Natal dentro de muralhas com vistas d'Alqueva


Espraia-se pelas ruas da vila até ao Largo do Castelo. Aí ficará o conjunto principal: A Virgem, São José e o Menino Jesus.
As outras figuras (ao todo são 48) distribuem-se pelas ruas da vila.

Em tamanho natural, estruturas de ferro e rede, cobertas por panos de cor crua, pintadas em tons pastel, rosa velho e lilases.
Caras e mãos feitas em cerâmica.

Por lá vão estar os Reis Magos, o pastor, os guardas do castelo, o oleiro, o almocreve, a lavadeira e a fiadeira. E muito mais!
Tudo impermeabilizado e tratado para aguentar a chuva.
À noite, todas as figura…

Dois padres jesuitas portugueses, tema do mais recente filme de Scorsese

Dois padres jesuitas portugueses, em arriscada incursão ao Japão, como principal ponto de interrogação e reflexão de Martin Scorsese no seu mais recente filme, Silêncio, há pouco estreado nas nossas salas de cinema.

Pai, pai, porque me abandonaste? Terá sido a pergunta de Cristo no Gólgota. Não sabemos qual poderá ter sido a resposta, ou se houve resposta. Mas a pergunta poderia ter passado pala cabeças dos padres Sebastião Rodrigues e Francisco Garupe quando, numa viagem de risco total, vão ao Japão em busca do seu mentor espiritual (o Padre Cristóvão Ferreira). Sobre ele - após longos anos sem notícias -  chegara um relato de que teria publicamente renunciado à fé católica, cometendo o respectivo pecado de apostasia.
Não acreditando em tal versão, conseguem autorização do Superior da Ordem e partem numa expedição de todos os perigos em busca da verdade dos factos. Nem os milhares de cristão mortos em sangrentas perseguições no Japão lograriam demovê-los do intento.

O filme, que conta a viagem, o destino dos padres e das comunidades com quem em segredo contactam, baseia-se no romance homónimo do católico japonês Shusaku Endo. Sempre sob o signo do silêncio de Deus perante o sofrimento dos crentes. Que pagam com a vida a disposição de não o renegar!

Não será o melhor filme de Scorsese. Não irá alcançar o êxito que outras obras suas conseguiram. Mas é importante pelo que mostra do conflito de padrões culturais e civilizacionais, acabando (talvez não fosse essa a intenção!)  por questionar os fundamentos da chamada evangelização e propagação da fé católica.

Espelha uma relação com o outro marcada por um princípio de superioridade moral que quase poderia ter anulado os factores reflexivos. Salvos, no entanto, pela figura do Inquisidor-Mor e pela sua capacidade de assumir o espírito e o papel de contraponto.

Um filme rodado em condições extremas de humidade e temperatura, com um grande rigor de caracterização e guarda-roupa, uma excelente fotografia e uma belíssima interpretação de Andrew Garfield.

Para abrir apetites:



Muita gente está a ler também:

Madredeus - "O Pastor"

"Carolina": O dueto magistral de Carminho com Chico Buarque

Do Minho para a sua mesa... Caldo Verde!