Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2016

Num triângulo de Ilhas, uma lenda de Açores. De rosto humano!

Imagem
Dou comigo a recordar aquele mestre do Terra Alta que - numa travessia das Velas para São Roque, já lá vão mais de 25 anos - me contava do Sr. Quaresma, de braço no ar, em cima do velho cais da Madalena.
Em dias de temporal, contando as ondas... para marcar o momento seguro de entrada do barco.

Clique para se deslumbrar! ►

Naquele triângulo de ilhas, o barco era tudo: Viu nascer as crianças (mais impacientes!) que não aguardaram até ao hospital da ilha em frente... foi viatura de funeral ou ambulância.
Muitas histórias de amor se teceram à distância, vertidas nas cartas confiadas a João Quaresma para que as encaminhasse para os amores ausentes.
Ou os açafates da comida e as encomendas que os pais mandavam para os miúdos da Ilha Montanha que tinham ido estudar para a Horta. Do lado de lá. o Gilberto das Lanchas, com a sua carrocinha, havia de tratar das entregas em mão.

Não havia lancha que arriscasse demandar o porto da Madalena sem ordem de João Quaresma. Todos os dias em cima do cai…

Não ganharam para o susto!

Imagem
Não lembraria a ninguém...!
Qualquer um, medianamente informada, sabe o que é (e para que serve!) uma estação dos caminhos de ferro. 

É apenas o sítio onde se entra a correr para não perder o comboio que está a iniciar a marcha ou o local de todos os nervosismos, e de todas as impaciências, quando se espera por alguém - cenário de pressas, afectos, saudades, lágrimas, abraços e sorrisos.

Que terá passado pela cabeça do autor para confundir a Estação de São Bento, no Porto, com um estúdio fotográfico ou uma galeria de arte? Dá para perceber que trocou as pés no mapa e subiu a escadaria a pensar que era algum museu. As pressas dão nisto!

Estavam os candidatos a passageiros descansadinhos quando chega alguém, máquina fotográfica em riste, a disparar contra tudo o que era azulejo. Até se devem ter assustado...!

Consta que Manuel Vagos (o fotógrafo) nem sequer apanhou o comboio. Parece que nem tinha comprado bilhete!!!

Acaba a querer desculpar-se com o argumento de que a estação é muito bo…

Ana Moura - "Dia de Folga"

Imagem
O que será que se esconde por detrás de uma canção que se transformou num dos mais estrondosos êxitos de  Ana Moura? Como explicar tamanho sucesso deste fado?

Música e letra são de Jorge Cruz, dos Diabo na Cruz. Ângelo Freire (guitarra portuguesa) e Pedro Soares (viola de fado) acompanharam a fadista.

Um trabalho produzido pelo canadiano Larry Klein, com quem Ana Moura já tinha contado no anterior álbum, Desfado.

Dia de Folga integra o CD editado em finais de Novembro do ano passado e que contou com a participação de vários nomes sonantes da execução musical internacional.
Acabaria por se chamar simplesmente... Moura. Foi objecto de lançamento internacional em Paris no princípio de Fevereiro, 15 dias antes seu concerto no Olympia, a carismática Sala de Espectáculos da capital francesa. Que encheu e esteve ao rubro para receber Ana Moura.

• Vídeo com direcção de Joana Areal e Duarte Domingos. Edição: Sérgio Pedro.


Manhã na minha ruela, sol pela janela
O Sr. jeitoso dá tréguas ao berbe…

Amores e paixões na beira do Grande Lago...

Imagem
Monsaraz e à volta!
Campos, margens e águas de Alqueva que se afagam numa carícia de sol de Inverno.
Gestos de enamoramento...
Beijando a terra, as vinhas desnudas ou o antigo romance dos rebanhos que a tocam e sentem.
Vila e castelo lá no alto... e um irrequieto céu que ondeia dorsos de núvem até ao êxtase do pôr-do-sol. • Timelapse de João Fructuosa (http://bit.ly/1RpV9SP)


Do mesmo autor: • Luzes no Escuro do Céu • Lights in the Dark Sk Timelapses realizados entre Maio e Junho de 2015 na Reserva Dark Sky Alqueva.

E o inesperado... aconteceu!

Imagem
Em dose dupla:
Primeiro, porque é o título que a produtora dá ao seu trabalho sobre o nosso país: Portugal - Expect the Unexpected; Segundo, porque ninguém estaria à espera que uma coisa feita para ser vista num avião em voo (em jeito de entretenimento dos passageiros) acabasse por ter o impacto que este vídeo está a ter no Descobrir Portugal e nas Páginas associadas. Estimulantes os 5 minutos de assistir ao vídeo que é exibido em alguns voos da British. Fala de um país que "casa o charme à moda antiga com uma subtil nuance de sofisticação contemporânea". Apresenta Portugal como "clássico e distintamente moderno".
Espreitemos:



Um belíssimo exemplo de vídeo de promoção turística - também não pretende ser mais do que isso! A seu favor, a qualidade da imagem, o ritmo das sequências, o tom (a um tempo) leve e rigoroso. Nesta área, é do melhor e mais eficaz que temos visto nestes últimos tempos. Obviamente em inglês, é da responsabilidade de uma produtora de televisão…

A favor da Literatura Portuguesa, proposta do Governo Brasileiro posta em causa!

Imagem
Acesa controvérsia está a provocar a intenção do Ministério da Educação do Brasileiro de eliminar a obrigatoriedade do estudo da literatura portuguesa na nova Base Nacional Curricular do Brasil.
Se fosse para a frente a intenção governamental, autores como Luís de Camões, Gil Vicente, Fernando Pessoa, Eça de Queiroz, Camilo Castelo Branco, Almeida Garrett ou José Saramago estariam postos em causa.
Para denunciar e combater esta intenção, circula na NET um abaixo assinado que é urgente divulgar, apoiar e subscrever, em ambas as margens do Atlântico.


A proposta beira o absurdo (...) como se pode apagar Portugal e a Europa de nossas origens? Tirando do mapa? Será que mais uma vez a seleção de conteúdos foi contaminada por um viés político e ideológico anacrónico? (...) perguntaram-se em artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo dois professores universitários brasileiros, Flora Bender Garcia e José Ruy Lozano, indignados com a decisão.

Vale a pena ler na totalidade o artigo assinado p…

"Falando com a Casa Branca", de Raul Solnado. Onde está a graça?

Imagem
Tem alguma piada? Alguém se consegue rir deste tipo de humor? Com todo o conjunto de figuras públicas desfilando dia após dia nas pantalhas mediáticas, precisamos de humoristas para quê? Da política à economia, do desporto à socialite, temos quem nos faça rir que chegue. Até às lágrimas!

Com tanta concorrência, Raul Solnado teria dificuldade em disputar um lugar no palco. Arriscava-se a ter de ficar espectador de discursos, entrevistas, comentários e um não sei mais, de uma plêiade de analistas. Amarrados ao fastio de... só com o riso conseguirmos afastar o bocejo!

Um grande senhor do Teatro e da Vida

Mais urgente do que nunca... rever uma das inesquecíveis criações de Raul Solnado: Falando com a Casa Branca!
Com o acréscimo de ele estar o telefone com o capataz, o encarregado de Vaxinton.  um tal Johnson. E de se tratar da uma inesquecível participação no espectáculo dos 35 anos da brasileira TV Record.
Num já distante 7 de Julho de 1967...



Hoje em dia, arrepia imaginar como seria a …

O Fotógrafo deve estar a gozar connosco!

Imagem
Depois vêm dizer que não temos razão...
Que é má vontade. Que andamos azedos. Que estamos de mal com a vida. etc. etc.

Como é possível alguém apresentar uma fotografia destas? E como podem, uns 1.500 gostar dela e quase 500 chegar a partilhá-la???
A imagem está toda errada. As paredes velhas de granito estão a estragar enquadramento e estética. O pelourinho há muito devia ter sido removido. E aquele castelo já não se usa...!

Mas com isso não se preocupou o fotógrafo, um tal José Branco Carvalho. Paredes velhas de granito? Que falta de gosto e de senso de modernidade. Devem estar ali há séculos. Por certo nem têm Certificado de Eficiência Energética!

Arrasem aquilo e deixem respirar as elegantes e altaneiras Eólicas Torres. Que deveriam gozar de estatuto de protecção e não ser afogadas, desfeadas, por estas... coisas de pedra.
Merecíamos era... ver as magníficas Eólicas que cercam Sortelha. Isso sim! Coisas de beleza útil!

Os autarcas e as autoridades do ambiente que as autorizaram d…

A Aventura que não escapou à atenção das televisões internacionais. À sua espera!

Imagem
Um País saboreado, conversado, percorrido com carinho, devagar... a pé!
Ao encontro dos rostos, das paisagens e dos sentimentos desta gente e deste povo.

• Livro aliciante e urgente para descobrir e percorrer:
Portugal a Pé, do Nuno Ferreira.

• O relato de todas as aventuras e de todas as caminhadas por esse País Interior que uns quantos teimam em fazer de conta que não existe.

• Cores, rostos e sentimentos de um país todo!

Veja como o Discovery Channel contou a Aventura do Nuno Ferreira.

Numa data especial (ou mesmo sem motivo nenhum!) ofereça à pessoa de quem gosta (ou a si próprio!) o melhor de Portugal:Nuno Ferreira calcorreou o país todo.
Perdeu-se por "caminhos de pé posto", reencontrou-se aldeias adentro, descobriu olhares, palavras e ausências...
Desvenda tudo neste
Portugal a Pé!


À sua espera nas lojas Bertrand ou e Fnac.
Ou, se preferir, também disponível para aquisição online.


• Em qualquer parte do globo onde esteja...
• Basta acenar, e ele vai ter consigo!
• Fácil! …

Que faria àquela hora na Rua Augusta?

Estrangeiro suspeito este Nikolay... Andou desaparecido, agora não desampara a loja... Tudo muito estranho!Está outra...
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2016

Um abraço, um aceno, uma saudade do futuro!

Fiquem-se com um abraço, uma aceno, uma saudade do futuro!Por aqui é Inverno e a chuva (preciosa!) não nos está a...
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2016

Moços d’uma cana - “Nos bancos da minha escola”

Imagem
Nos bancos da minha escola eu aprendi a tocar a viola campaniça que me há-de acompanhar
São os Moços d'uma cana.
Na Escola Secundária de Castro Verde aprenderam a construir e a tocar a viola campaniça.
Naquele Campo Branco, a escola foi essencial para que se não perdessem tradições musicais do Baixo Alentejo e as jovens gerações as aprendessem a amar e a tê-las como suas.

Os mocinhos cresceram, fizeram-se à vida, andam por aí a dar concertos de grande (e merecido!) êxito. Por direito próprio, conquistam palcos e plateias.
Mas não quiseram perder memórias nem esquecer quem os despertou para a viola campaniça ou os laços de amizade que daí nasceram.

Ouvindo esta moda, a um tempo, gostamos da sonoridade e da execução. E redescobrimos a importância do papel da escola.
Agrada de sobremaneira o gesto de reconhecimento desta maltinha...

Se o Português, o Inglês ou a Matemática são decisivos na aprendizagem das nossas crianças, a sua formação não se pode ficar por aí. E, nada que tenha ver …

Haveria outras formas de vos cumprimentar...!

Haveria outras formas de vos cumprimentar...Mas apeteceu esta!Abraço grande.E... "escrevam na volta do Correio"!
Publicado por Rui Dias José em Domingo, 14 de Fevereiro de 2016

Um "Amazing" Postal de Férias com imagens muito bonitas!

Haveria muito mais a ver e contar...
Mas o tempo era curto. E Basti Hansen ficou-se pelos principais pontos turísticos!

Muito "Amazing", mas um interessante "Postal de Férias".
Daqueles que, os que nos visitam, costumam guardar do nosso país.
Com a vantagem de ter ficado muito bonito!



Uma viagem relâmpago a Portugal de Basti Hansen - Motion Pictures & Photographs deu nisto.De norte a sul do país...
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Sábado, 13 de Fevereiro de 2016

Um fim-de-semana de sonhos e vontades! Sempre com tempo de carinhos e afectos!

Mundo todo. Onde haja um rosto, uma alma, que ame em português... este abraço de saudade!Façam o vosso fim-de-semana de sonhos e vontades! Mas sempre com tempo de carinhos e afectos. :)
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Sábado, 13 de Fevereiro de 2016

Terá ido às compras ou andará a disfarçar?

Imagem
Desta vez é fácil! E percebemos à 1ª!
Tanta gente a gostar desta imagem? Fácil!

Com aquele nome, o Nikolay Marinchev‎ só podia ser estrangeiro: E vocês (quase todos!) ainda andam convencidos que o que vem de fora é melhor do que aquilo que temos cá na terrinha. Nem que seja fotógrafo...!

Ninguém se preocupou em saber o que é que este tal Marinchev‎ andará a fazer por esta bandas. Nada disso, a pressa de uma imensidão de gente foi em dizer que gostava da fotografia
Bem, na realidade...já o vimos fazer muito melhor. E a alfacinha Rua Augusta merecia mais empenho e precisão! Pois, mas já que estava ali, bateu uma chapa. Também.. era para o Facebook e sabia que gostavam de qualquer maneira. :)

Ele andou desaparecido.
Mas, agora que está de regresso, é de presença regular no Descobrir PORTUGAL.
E, pelos vistos, andou a passear pela Baixa de Lisboa.


• Para ampliar,
contemplar
e ficar de água na boca,
clique na imagem.




► Muitos milhares de fotografias,dos membrosdo Descobrir PORTUGAL.
À sua espera!

Retratos de índios brasileiros para espreitar em Lisboa

Imagem
Dois fotógrafos, dois olhares...

• Dia de Índio
• Tocantins (Brasil)
• Outubro de 2015

Fernando Ricardo e Marilene Bittencourt expõem os seus... Retratos.



A Pequena Galeria é... o terreiro da exposição!
Inauguração: Quinta-feira, 18 de Fevereiro , às 18 horas
Todo o dia é Dia de Ìndio!- mote, lema, palavra de ordem em Tocantins.

Clique nas imagens para ampliar


Esta a chover? Daqui a pouco uns raios de sol...!

Então, como vão? Tudo bem convosco?Aborrecidos com a chuva? Tão precisa para que a Primavera venha viçosa e...
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2016

António Zambujo - "Pica do 7"

Imagem
A canção fala de uma rapariguinha que se apaixona por um revisor de eléctrico...

Os mais novos não saberão... Mas, nos eléctricos (e nos autocarros), existia um funcionário que - de mala à tiracolo e alicate na mão - cobrava os bilhetes aos passageiros. Com o alicate fazia um furo a marcar a estação da entrada, para poder controlar o percurso a que dava direito aquele (como agora se diz) título de transporte.

E, à força de tantos furinhos, acabaram corriqueiramente designados por pica bilhetes ou, de forma abreviada, os pica.

Nos tempos de hoje, o Pica acabou promovido a Revisor. O que sempre lhe concede um estatuto mais adequado ao apaixonamento da moçoila ansiosa por um eléctrico habitado pelo seu amor secreto.

O Pica do 7 faz parte do sexto álbum, de António Zambujo, Rua da Emenda. Tem letra de Miguel Araújo e contou com a participação especial da Banda de Música dos Empregados da Carris. Como não podia deixar de ser...!



De manhã cedinho
Eu salto do ninho e vou pra paragem
De ban…

Vinga-se o corpo com o Carnaval! Prazeres de Entrudo...

Imagem
O Entrudo também é de comer! E se a ortodoxia religiosa trouxe a Quaresma, vinga-se o corpo com o Carnaval.
Nas nossas aldeias, o porco comandava hábitos, geridos pelos ritmos da matança e da cura das carnes sob o mando do Deus Inverno,  mandante em todo o processo de cura - quer pelo sal quer pelo fumeiro.

No norte do país subsistem exemplos desta cozinha de Entrudo. Espreite estes dois:
Butelo com Cascas (de Trá-os-Montes)Bucho (das terras raianos das Beira) Em ambos os casos, o aproveitamento das partes ditas menos nobres do bicho. Mas se calhar das mais saborosas... bem juntinho ao osso. Que os tempos não iam para desperdícios: a vida era dura e a sobrevivência uma aposta diária.

Tantas receitas de experimentar e saborear...


(clique no nome do prato. Será encaminhado/a para a receita) 
Butelo com Cascas - ou Casulas (Trás-os-Montes)Bucho Raiano (Sabugal)Peixes de rio e enguias fritas (Baixo Mondego)Pasteis de VouzelaSericá/Sericaia (Alentejo)Milhos Ricos (Ribeira de …

Com ou sem ritos da época... conservem sorrisos, forças e vontades!

Em ambiente de Entrudo ou de Carnaval. Ou mesmo sem folias, se lhe forem estranhas... Bom Dia para todos!Com ou sem...
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2016

Bucho Raiano: o Entrudo à mesa na raia das Beiras

O Entrudo também é de comer! Com pratos de Saborear nesta época.
Se ontem trazíamos a Receita do transmontano Butelo com Cascas , hoje desafiamos para o Bucho Raiano.
E... bom proveito :)

O Entrudo também é de comer! Com pratos de Saborear nesta época.Se ontem trazíamos a Receita do transmontano Butelo com...
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Domingo, 7 de Fevereiro de 2016

Câmara do Porto aposta na mobilidade eléctrica

► Porto quer ser "referência nacional ao nível da mobilidade eléctrica".Quatro viaturas para apoio nas áreas de limpeza...
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Domingo, 7 de Fevereiro de 2016

Butelo Com Cascas: o Entrudo à mesa em Trás-os-Montes

Alguns não saberão que o Entrudo também tem os seus pratos tradicionais...!

Na origem deste Butelo com Cascas, a escassez de recursos. Que obrigava os mais pobres a aproveitar todos os bens comestíveis, usando as cascas e o espinhaço do porco - muitas vezes até à ponta do rabo - para criar um prato de Inverno, bem energético.

A arte da imaginação como exercício de sobrevivência em Trás-os Montes!

►A gastronomia do Entrudo:BUTELO COM CASCAS – ou CASULAS (Trás-os Montes)Não sabe o que é um Butelo ou que são cascas?...
Publicado por Saborear em Sábado, 6 de Fevereiro de 2016

Ele há cada mistério...

Imagem
Pensávamos que já tínhamos visto tudo. Enganámo-nos.
Primeiro ficámos incrédulos. Depois... estupefactos!

Não é que esta foi uma das fotografias de que os membros do Descobrir PORTUGAL mais gostaram?
Bem... se eles tivessem gostado dos pasteis de nata, tinham a nossa concordância e aplauso. Agora dos ditos em fotografia...

Cheirará a quê? Saberá a quê?
Para comer não dá. Para ver... só se for com uma pontinha de inveja e uma dose de raiva por não nos ter tocado nada daquele tabuleiro.

• Para ampliar, contemplar e ficar de água na boca, clique na imagem. ►



Sem sequer provar, uns 2.500 vieram dizer que gostaram. E alguns até adoraram!!! Quer-nos parecer que nunca serão convidados para nenhum júri gastronómico!

Razão tiveram aqueles dois que, depois de depararem com a fotografia, ocultaram todas as imagens do Descobrir Portugal. Ou aquele outro que abandonou de imediato a página. Só vai voltar quando tivermos pasteis de nata a sério, acabadinhos de sair do forno, a desfazerem-se na boca.…

Cabrito do Monte, Bucho Doce, Alvarinho e vistas do Minho..

Imagem
Hoje, amanhã e depois... manda o cabrito em Melgaço!
Do monte, assado no forno, com espumante da casta Alvarinho. À sobremesa Bucho Doce.

Com o Entrudo, os prazeres da carne!

É a proposta para o Fim de Semana Gastronómico em Melgaço:

Os restaurantes aderentes à iniciativa do Turismo do Porto e Norte de Portugal e da Câmara de Municipal vão fazer as delícias de quem partir à descoberta da gastronomia de Melgaço.



Um fim de semana de tentações a desafiar os apreciadores da boa mesa.

Melgaço sabe bem receber e bem cozinhar - de uma forma simples, mas de grande qualidade.

Quase duas dezenas de restaurantes participam nesta iniciativa.


Prazeres e Aventuras não ficam por aqui...

Há um leque variado de propostas para estes dias. Quem guardar a factura da refeição nos restaurantes aderentes terá entrada gratuita num dos museus da Rede Melgaço Museus. É só escolher:
• Núcleo Museológico da Torre de Menagem • Museu do Cinema • Museu Memória e Fronteira • Núcleo Museológico de Castro Laboreiro •


Hoje é um bom dia para ser "Caçador de Sóis"!

Este sol de quase Primavera, que temos por aqui, faz bem ao corpo e à alma :)Vocês têm estado a escrever pouco... e nós...
Publicado por Descobrir PORTUGAL em Sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2016

Madredeus - "Haja o que houver"

Imagem
Do álbum O Paraíso, este Haja o que Houver foi um dos temas que mais longe chegou no agrado e identificação do público. O que é relevante, por surgir integrada num trabalho discográfico que reúne belíssimas músicas e canções.

Dez anos depois do surgimento do grupo  (este álbum foi gravado em 1997) a sua formação, como é compreensível, já não era a inicial.

E vamos aqui encontrar:
• Teresa Salgueiro - Voz • José Peixoto - Guitarra, Guitarra Clássica •
• Pedro Ayres Magalhães - Guitarra, Guitarra Clássica, Mistura, Produção •
• Fernando Judice - Baixo • Carlos Maria Trindade - Sintetizador, Teclado •
• As letras e as músicas são de Pedro Ayres Magalhães •

Saboreiem este vídeo assinado pelo José F. Pinheiro.


Haja o que houver
Eu estou aqui
Haja o que houver
espero por ti

Volta no vento ô meu amor
Volta depressa por favor
Há quanto tempo, já esqueci
Porque fiquei, longe de ti
Cada momento é pior
Volta no vento por favor...

Eu sei quem és
para mim
Haja, o que houver
espero por ti...

Há quanto …