Num triângulo de Ilhas, uma lenda de Açores. De rosto humano!

Imagem
Dou comigo a recordar aquele mestre do Terra Alta que - numa travessia das Velas para São Roque, já lá vão mais de 25 anos - me contava do Sr. Quaresma, de braço no ar, em cima do velho cais da Madalena.
Em dias de temporal, contando as ondas... para marcar o momento seguro de entrada do barco.

Clique para se deslumbrar! ►

Naquele triângulo de ilhas, o barco era tudo: Viu nascer as crianças (mais impacientes!) que não aguardaram até ao hospital da ilha em frente... foi viatura de funeral ou ambulância.
Muitas histórias de amor se teceram à distância, vertidas nas cartas confiadas a João Quaresma para que as encaminhasse para os amores ausentes.
Ou os açafates da comida e as encomendas que os pais mandavam para os miúdos da Ilha Montanha que tinham ido estudar para a Horta. Do lado de lá. o Gilberto das Lanchas, com a sua carrocinha, havia de tratar das entregas em mão.

Não havia lancha que arriscasse demandar o porto da Madalena sem ordem de João Quaresma. Todos os dias em cima do cai…

Uma fogueira de fazer voar as ovelhas!

Ovelhas a voar nas muralhas? E uma gigantesca fogueira, de ser vista a uns 30 quilómetros de distância, no alto da torre?
Não em um Castelo, mas... em dois! Simultâneamente.

Mas... que diabo de coisa será esta? Que já tem data marcada para o próximo sábado em Palmela e em Lisboa? Ao mesmo tempo?
Mete música, teatro, projecções. Promete animação e festa. Tudo isto para celebrar uma... Almenara, ou seja... uma fogueira que ficou na Historia de Portugal. Já lá vão mais de 600 anos.
Bem... o melhor é recordar os factos passados para que vocês percebam:


  • Durante o cerco de Lisboa pelos castelhanos, o Condestável D. Nuno Álvares Pereira – após a vitória na batalha dos Atoleiros (1384) – acendeu uma Almenara (fogueira de grandes dimensões) no Castelo de Palmela para alertar o Mestre de Avis, em Lisboa, de que a ajuda estava próxima.

A 17 de Setembro juntam-se duas margens do Tejo, dois castelos, duas cidades. E, dia todo, Lisboa e Palmela são cenário de espectáculos independentes que a tecnologia permitirá interligar: as projecções serão visíveis nos castelos dos dois municípios.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=881209621989653&set=o.124331758934&type=3&theater
Os horizontes abertos do alto do Castelo de Palmela
(Clique para ampliar)
Do lado de de Palmela, o pastoreio e as ovelhas são os elementos centrais do espetáculo Ritual Almenara. Encenações teatrais com a direcção de João Brites, do Teatro O Bando.
E com o maestro Jorge Salgueiro a assumir o comando da vertente musical.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=763137603734336&set=o.124331758934&type=1&theater
Castelo de São Jorge, Lisboa
(Clique para ampliar)


Lisboa celebra a lusitanidade e os padrões das subculturas da cidade capital. A direcção será de Jorge Ribeiro, da Companhia da Esquina. E contará com uma orquestra de 12 músicos.



Durante todo o dia, será tempo de uma ligação histórica entre os dois castelos, um jogo de tabuleiro em tamanho real, uma instalação de figuras lúdicas para fotografias, sinalética associada ao projeto e workshops e fam trips com operadores turísticos. Sábado cheio naqueles dois monumentos nacionais.

O projeto Almenara pretende estabelecer a comunicação entre as duas margens do rio Tejo. Com base na informação histórica, identidade, património e cultura das diferentes regiões, exaltando a memória coletiva e reforçando a oferta turística da Região de Lisboa. Congrega as Câmaras Municipais de Lisboa e de Palmela e a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa.

Muita gente está a ler também:

Ana Moura - "Dia de Folga"

Que alma terá inventado essa coisa da "carne de porco à alentejana"?

Do Minho para a sua mesa... Caldo Verde!