Fenómeno de crescimento e participação! Agora não podemos parar!

Imagem
Mais de dois Milhões de membros! Um Universo que não pára de crescer e de se diversificar!
Chegados aqui... Temos de ir em frente!
E encontrar formas de corresponder ao interesse e ao entusiasmo desta multidão de rostos.

Por isso, estamos a lançar uma página nova.
Que assume com orgulho o nome de Descobrir Portugal - que fizemos, construímos e consolidámos ao longo destes dois anos no Facebook.
Até conseguirmos ter connosco mais de um MILHÃO de membros, espalhados por todos os cantos da Língua Portuguesa.

Do ala que se faz tarde! conservamos as memórias e os afectos de um blog que, neste curto período, registou mais de 6,5 milhões de visitas. Mas está na altura de iniciar uma nova caminhada fazendo apelo a novos recursos e potencialidades.

• E aí está owww.descobrirportugal.pt.Que quer continuar a contar com o vosso apoio e a vossa divulgação!


Aquilo que parecia uma brincadeira e um passatempo... tornou-se coisa séria. Precisamos agora de apoios e de suportes que garantam continuação, a…

“Eu Ouvi o Passarinho” • Cantares Regionais de Portel

De seu nome completo, Grupo Coral de Cantares Regionais de Portel.
Nasceu na noite de 5 de Janeiro de 1976, quando um pequeno grupo de portelenses resolveu percorrer as ruas da vila, entoando o Canto dos Reis.


Na década de 80, eles trouxeram o Alentejo para a ribalta da música e da indústria discográfica. Percorreram mundo. Afirmaram-se na rádio e na televisão. E ainda aí estão. Por mérito próprio!

E, mesmo que custe custe a alguns puristas(!), terá que ser dito que eles abriram caminhos e as suas músicas ficaram no ouvido. Como este Eu Ouvi o Passarinho:


Começámos a cruzar-nos nos anos 80 do século passado(!).´Tínhamo-nos conhecido em Santarém num Festival Nacional de Gastronomia. E, de uma improvisada actuação em directo para a rádio, haveria de nascer uma amizade profunda e duradoura com o Grupo.
Não esqueço aquele aniversário dos Cantares de Portel, na sua terra, com uma tenda de circo montada para albergar o espectáculo que a Antena 1 transmitiu em directo.

Ou aquela emissão do Feira Franca, em 2001, quando o largo/cruzamento/entroncamento de Portel foi transformado em recinto da Festa da Rádio: A estrada nacional (que ligava a Lisboa e a Moura) passava por ali. Foi cortada para que se pudesse realizar a emissão.

Coube à Guarda Republicana assegurar o desvio e a fluidez do trânsito pelos percursos alternativos.
E, depois da Banda dar início à função, chegou o Grupo de Cantares. 


E quando Norberto Patinho - então presidente de Câmara, sem prescindir da liderança do Grupo - reuniu aquela gente toda para um espectáculo surpresa no jantar do Passeio de Jornalistas, que na altura eu organizava?

A visita a Portel, dos companheiros da Comunicação Social meus convidados, ganhou logo ali outro significado afectivo.

Muita gente está a ler também:

Marvão: lá do alto, horizontes imensos de encher peito e alma!

Ele há cada mistério...