Num triângulo de Ilhas, uma lenda de Açores. De rosto humano!

Imagem
Dou comigo a recordar aquele mestre do Terra Alta que - numa travessia das Velas para São Roque, já lá vão mais de 25 anos - me contava do Sr. Quaresma, de braço no ar, em cima do velho cais da Madalena.
Em dias de temporal, contando as ondas... para marcar o momento seguro de entrada do barco.

Clique para se deslumbrar! ►

Naquele triângulo de ilhas, o barco era tudo: Viu nascer as crianças (mais impacientes!) que não aguardaram até ao hospital da ilha em frente... foi viatura de funeral ou ambulância.
Muitas histórias de amor se teceram à distância, vertidas nas cartas confiadas a João Quaresma para que as encaminhasse para os amores ausentes.
Ou os açafates da comida e as encomendas que os pais mandavam para os miúdos da Ilha Montanha que tinham ido estudar para a Horta. Do lado de lá. o Gilberto das Lanchas, com a sua carrocinha, havia de tratar das entregas em mão.

Não havia lancha que arriscasse demandar o porto da Madalena sem ordem de João Quaresma. Todos os dias em cima do cai…

"Beijo de Saudade" - Mariza e Tito Paris

Na Lisboa de todas as Partidas e todas as Chegadas, o fado pode ganhar acentos de África e retornar às origens. Com as águas do Tejo a desaguar em Cabo Verde...

A duas vozes: Mariza e Tito Paris para um Beijo de Saudade!
Ela (que nasceu em Moçambique, cresceu na Mouraria e chegou a viver no Brasil)  é, verdadeiramente, uma voz da Lusofonia!

  • Fado com letra de música de  B. Beleza. Integrou o álbum Terra, lançado em 2008.
  • Quisemos trazer este Beijo de Saudade envolto em imagens de Lisboa, neste vídeo com montagem de Román De La Serna.



Ondas sagradas do Tejo
Deixa-me beijar as tuas águas
Deixa-me dar-te um beijo
Um beijo de mágoa, um beijo de saudade
Para levar ao mar e o mar à minha terra

Nas tuas ondas cristalinas
Deixa-me dar-te um beijo
Na tua boca de menina
Deixa-me dar-te um beijo, oh Tejo

Um beijo de mágoa, um beijo de saudade
Para levar ao mar e o mar à minha terra

Nha terra ê quêl piquinino
È Cabo Verde, quêl quê di meu
Terra que na mar parcê minino
È fidjo d'oceano, é fidjo di céu
Terra di nha mãe, terra di nha cretcheu

Nas tuas ondas cristalinas
Deixa-me dar-te um beijo
Na tua boca de menina
Deixa-me dar-te um beijo, oh Tejo

Um bêjo di mágoa, um bêjo di sodadi
Pá bô levá mar, pá mar leval'nha terra
P’ra levar ao mar e o mar à minha terra


Não perca:

Ó Gente da Minha Terra
Alma
Paixão
https://www.facebook.com/cafportugal/videos/10152318013482541/
http://absolutoportugal.blogspot.pt/2015/11/mariza-alma-do-novo-mundo.html
http://absolutoportugal.blogspot.pt/2015/11/mariza-alma-do-novo-mundo.html
O tempo não para!
http://absolutoportugal.blogspot.pt/2015/12/mariza-o-tempo-nao-para.html

Muita gente está a ler também:

Ana Moura - "Dia de Folga"

Que alma terá inventado essa coisa da "carne de porco à alentejana"?

Do Minho para a sua mesa... Caldo Verde!