Fenómeno de crescimento e participação! Agora não podemos parar!

Imagem
Mais de dois Milhões de membros! Um Universo que não pára de crescer e de se diversificar!
Chegados aqui... Temos de ir em frente!
E encontrar formas de corresponder ao interesse e ao entusiasmo desta multidão de rostos.

Por isso, estamos a lançar uma página nova.
Que assume com orgulho o nome de Descobrir Portugal - que fizemos, construímos e consolidámos ao longo destes dois anos no Facebook.
Até conseguirmos ter connosco mais de um MILHÃO de membros, espalhados por todos os cantos da Língua Portuguesa.

Do ala que se faz tarde! conservamos as memórias e os afectos de um blog que, neste curto período, registou mais de 6,5 milhões de visitas. Mas está na altura de iniciar uma nova caminhada fazendo apelo a novos recursos e potencialidades.

• E aí está owww.descobrirportugal.pt.Que quer continuar a contar com o vosso apoio e a vossa divulgação!


Aquilo que parecia uma brincadeira e um passatempo... tornou-se coisa séria. Precisamos agora de apoios e de suportes que garantam continuação, a…

E quando o Português se canta à moda de Olivença?

Um excelente conjunto de vozes e músicos de Olivença numa quase comovente interpretação deste Fado Corridiño.
Canção incluída no disco Canto de Gamusinos, editado em 1999.

O doce acento oliventino...
São os ACETRE! Folk Bilingüe desde la frontera con Portugal, escrevem eles, em jeito de apresentação, na página do Facebook.

Aí deixam claro que Olivença, seu lugar de origem,
lhes outorga a característica "bicultural" de uma maneira tão expontânea e sincera que só poderá ser explicada sabendo-a nascida a partir do essencial, a partir da base da aprendizagem vital.

Nascidos em 1976, eles assumem a busca de novos caminhos para a música de raiz e tradição. Vale a pena escutá-los. Chegam a ser comoventes.

• Concerto, em Olivença, comemorativo dos 30 anos dos ACETRE.



Venham cá amores novos
que os velhos já me esqueceram
foram penas que voaram
folhas secas que já arderam

Voam as velhas cantigas
todas têm som lamentado
carregadas de fadigas
longe do tempo passado

Quando vem ao pensamento
uma lembrança divina
vejo os teus olhos na noite
que me acordaram de dia

Rosa que estas na roseira
deixa-te estar que estás bem
que acima ninguém te chega
a baixo não vai ninguém

Está a lua parada
por cima dessa janela
com sete rosas na mão
vou roubar essa estrela

Muita gente está a ler também:

Ele há cada mistério...

Madredeus - "O Pastor"

Marvão: lá do alto, horizontes imensos de encher peito e alma!