Num triângulo de Ilhas, uma lenda de Açores. De rosto humano!

Imagem
Dou comigo a recordar aquele mestre do Terra Alta que - numa travessia das Velas para São Roque, já lá vão mais de 25 anos - me contava do Sr. Quaresma, de braço no ar, em cima do velho cais da Madalena.
Em dias de temporal, contando as ondas... para marcar o momento seguro de entrada do barco.

Clique para se deslumbrar! ►

Naquele triângulo de ilhas, o barco era tudo: Viu nascer as crianças (mais impacientes!) que não aguardaram até ao hospital da ilha em frente... foi viatura de funeral ou ambulância.
Muitas histórias de amor se teceram à distância, vertidas nas cartas confiadas a João Quaresma para que as encaminhasse para os amores ausentes.
Ou os açafates da comida e as encomendas que os pais mandavam para os miúdos da Ilha Montanha que tinham ido estudar para a Horta. Do lado de lá. o Gilberto das Lanchas, com a sua carrocinha, havia de tratar das entregas em mão.

Não havia lancha que arriscasse demandar o porto da Madalena sem ordem de João Quaresma. Todos os dias em cima do cai…

"Mar de Sines" - Espreite o documentário que estreia a 24


100 entrevistas, 250 horas de gravações e todo aquele mar pela frente. Apenas... um documentário!

Urdido com testemunhos de três gerações de pescadores. Daqueles que conhecem bem o mar do sudoeste português. Os mais velhos nem precisavam de instrumentos de navegação: orientavam-se pelas pedras, pelos relevos e desenho da costa, pelas marcas no alto das falésias, pelos focos dos faróis.

O que o mar oferece e o que o mar reclama. Os encantos do mar... mas também a dureza das realidades que transporta.
Na origem deste filme o porto de pesca. Ambição de tantos anos, com promessas do tempo da outra senhora celebradas em repasto de vaca quando Marcelo - o do Antigo Regime - lhes prometeu um.
Balela para disfarçar a chegada do Porto Oceânico e do Terminal Petrolífero. Não se sabe quem terá pago o bicho sacrificado na festa de celebração. Mas sabe-se que os pescadores de Sines tiveram ainda de passar por muitos anos de esperas e lutas para conseguir lugar seguro para acostar os barcos do seu sustento.

E se Porto e Lota são interesse do documentário, o filme navega outras águas: encontra os últimos pescadores-cabaneiros de São Torpes, percorre a costa rochosa com os mariscadores, escuta as memórias dos pescadores do alto, mergulha as profundezas do oceano.

Um cheirinho para abrir o apetite...


Produzido pela Câmara Municipal de Sines, é um projeto de cinema com a comunidade. Foi realizado por Diogo Vilhena, com produção e assistência de realização de António Campos. Banda sonora original de Charlie Mancini, com a participação de músicos da região.

Estreia aprazada para dia 24. No Castelo de Sines, encostado à praia, com o mar no horizonte!

Muita gente está a ler também:

Ana Moura - "Dia de Folga"

Que alma terá inventado essa coisa da "carne de porco à alentejana"?

Do Minho para a sua mesa... Caldo Verde!